'

Nota em desagravo a mesa diretora da Assembleia legislativa do Estado de São Paulo

A política cartorial autoritária da mesa diretora tem que ser revista. O presidente Carlão Pignatari (PSDB) precisa reverter essa posição.

17 May 2021, 17:00
Nota em desagravo a mesa diretora da Assembleia legislativa do Estado de São Paulo

São Paulo vive uma crise profunda na educação há anos. Desrespeito a carreira docente, falta de investimentos sólidos e precarização estrutural.

A pandemia desnudou o projeto de desmonte da educação Paulista somado à face autoritária do secretário Rossieli e de Dória na insistência do retorno sem segurança. Isso nos custou vidas. 

Na Alesp, a defesa intransigente dos educadores e da educação sempre teve a marca de um companheiro combativo, Carlos Giannazi.

Giannazi foi retirado da comissão de Educação de maneira arbitrária. Um ataque direto à educação pública e de sua representação legítima. A casa legislativa acena a política destrutiva e autoritária de Rossieli e Dória na tentativa de calar um combativo representante da educação.

Esse ataque direto ao companheiro Giannazi é um ataque à oposição. O PSOL possui 4 parlamentares e apenas foi indicado a três cadeiras nas comissões. Um ataque à democracia e a oposição combativa ao governo Dória. 

Giannazi é o único parlamentar do Estado de São Paulo fora de qualquer comissão. 

Acionamos a justiça e lutaremos para que essa injustiça seja revertida. Um parlamento democrático deve garantir o mínimo de proporcionalidade entre os eleitos e pluralidade no debate.

A política cartorial autoritária da mesa diretora tem que ser revista. O presidente Carlão Pignatari (PSDB) precisa reverter essa posição.

Não passarão. 

Solidariedade e luta ao lado de Giannazi e de toda comunidade escolar.

Monica SeixasLíder da Bancada do PSOL na ALESP